Desconto em Games

Review | Salt and Sacrifice (PC)

O passado brilhante de Salt and Sanctuary foi capaz de tornar a Ska Studios uma empresa referência em Metroidvanias e Souls Likes. Com a recente chegada de Salt and Sacrifice, será que o padrão de qualidade irá se manter e seguir surpreendendo outras empresas com jogos do mesmo gênero? É isso que a Ska nos prometeu com seus trailers de divulgação do produto final.

Salt and Sacrifice foi lançado originalmente para PlayStation 4, PlayStation 5 e PC no dia 10 de Maio de 2022, prometendo inovar com seu modo multiplayer, novas mecânicas de combate e novos cenários.

Um agradecimento mais do que especial para a Ska Studios e Devoured Studios por ter fornecido a cópia de acesso antecipado para que esta análise pudesse acontecer!

Pode ficar tranquilo(a), esta análise é livre de SPOILERS!

Nossa jornada começa aqui!

O que é Salt and Sacrifice

Salt and Sacrifice é um jogo Metroidvania 2D com elementos já conhecidos do gênero Soulslike. O título é uma evolução de seu antecessor com belos gráficos, combate aprimorado, novas habilidades disponíveis em uma árvore de talentos e um mundo ainda maior do que antes! Na trama, nosso personagem é jogado em um mundo corrompido por Magos que habitam a região do Reino de Altarstone. Após a condenação do personagem que criamos, nosso principal objetivo é caçar diversos Magos espalhados pelas regiões do Reino para se tornar um Inquisidor Marcado e purificar o ambiente consumindo o coração de cada um deles.

O portal que divide os mundos

Logo que entramos no menu de criação de personagens, o jogo disponibiliza 8 classes para cada jogador, sendo elas:

  • Assassino – classe na qual prioriza a velocidade, permitindo realizar ataques rápidos. Ótima classe para jogadores que pretendem causar muito dano. Infelizmente os assassinos sofrem muito dano com qualquer ataque
  • Clérigo – classe com habilidades de suporte, permitindo restaurar sua barra de vida. A classe recebe desvantagem em relação a baixa defesa
  • Guerreiro – classe equilibrada entre ataque e defesa. Sua maior desvantagem é a lentidão através dos movimentos
  • Duelista – classe que ataca os inimigos rapidamente mas possuem uma certa dificuldade no bloqueio de contra-golpes
  • Espadachim – classe recomendada para jogadores que gostam de atacar diversas vezes. Sua baixa resistência pode se tornar um grande problema em combates frenéticos
  • Paladino – classe que retém muitos golpes dos inimigos mas que podem sofrer com a lentidão das esquivas
  • Patrulheiro – classe excelente para qualquer tipo de combate, porém, não bloqueiam ataques, sendo necessário utilizar apenas a esquiva
  • Sábio – classe que utiliza combates corpo a corpo e conjurações mágicas mas que pecam no início da jornada devido a fraqueza

Vale destacar que cada classe presente no game disponibiliza uma arma diferente e pontos que são distribuídos para formar sua build.

Qual classe você irá escolher?

Os detalhes dos games da From Software estão presentes em toda a obra, assim como no início do game quando somos derrotados pelo chefe para avançar na história, mais conhecida como a famosa morte obrigatória de Dark Souls.

Para sobreviver ao mundo de Salt and Sacrifice, será necessário que o jogador realize upgrades coletando Sal, a experiência recebida após derrotar um inimigo ou chefe. Acredite em mim… estes upgrades serão essenciais para derrotar os inimigos poderosíssimos que encontraremos durante nossa longa jornada para se tornar o Inquisidor Marcado.

Todas as nossas tarefas podem ser realizadas através do Vale do Perdão, o lobby onde encontramos NPC’s que guiam em sua jornada, além de vender itens e realizar upgrades.

Realize e gerencie suas atividades no Vale do Perdão

Um passo para frente, dois para trás

Salt and Sacrifice inova com seu estilo de combate único e recebe uma leve melhoria em sua jogabilidade, mas, infelizmente não posso dizer o mesmo de sua história e seu objetivo. Algo que me deixou extremamente cansado e desanimado de jogar foram as Caças aos Magos! Em torno de 4 a 5 Magos estão presentes por região, no qual torna extremamente chato já que todos possuem o mesmo objetivo principal, sendo ele, encontrar o chefe vagando aleatoriamente pelo mapa, matar os inimigos que o chefe spawna e derrotá-lo em uma pequena área.

Mesmo com suas inovações gráficas, o level design acaba decepcionando durante a maior parte do game, tornando interessante apenas as escolhas dos inimigos que realmente se destacam com seu move set.

O level design poderá desapontar

A importância de um Mapa e Fast Travel

Pode parecer besteira mas senti falta de uma Viagem Rápida para não perder tempo caminhando, além de evitar confrontos desnecessários no percurso. Outro fator importante que não deve ser deixado de lado é a ausência de um mini-mapa para traçar rotas únicas e gravar os locais que já exploramos. Por conter diversas rotas, muitas vezes acabamos entrando no mesmo local e saindo em outro lugar já explorado. Um mapa não quebraria a imersão de Salt e talvez até despertasse ainda mais o interesse do jogador em prosseguir.

Vagamos diversas vezes pela mesma região

Cheguei chegando

Desde o início de sua jornada, o game não incentiva ou ajuda com breves tutoriais para facilitar e prender o jogador. Sei que isso é uma escolha do diretor mas infelizmente muitos jogadores sentirão uma certa dificuldade em sua progressão. Totalmente diferente de Souls, o jogo não incentiva a continuar após morrer e não dá aquela sensação de dever cumprido ao derrotar um Mago. Mesmo com poucos comandos, podemos nos sentir perdidos ao explorar o vasto mundo de Salt and Sacrifice.

O jogador recebe poucas instruções

Gráficos

Os gráficos merecem um destaque comparado ao título anterior, com ambientes mais coloridos e inimigos mais vívidos. Apesar do título anterior manter o seu padrão mais “sombrio”, era um pouco esquisito jogar com uma imagem mais “desfocada” e borrada. Com o recente avanço da tecnologia, houve uma melhoria significativa e totalmente satisfatória.

Melhorias gráficas são perceptíveis

Trilha Sonora

Apesar de Salt and Sacrifice possuir uma boa trilha sonora, ela pode se tornar totalmente esquecível com o passar do tempo. Mesmo nos combates contra Magos, senti a falta de uma trilha que marcasse ainda mais cada inimigo que derrotamos. Em relação aos efeitos sonoros de espadas e inimigos, podemos mencionar que ambos são perfeitos e bem sincronizados.

Os Loadings no PS5

Por manter a fórmula dos jogos da From, os loadings rápidos são essenciais para evitar a perda de tempo com as inúmeras mortes que estarão presentes durante toda sua jogatina. Não há muito o que falar sobre isso mas a desenvolvedora fez um excelente trabalho neste aspecto!

Multiplayer

Este é sem dúvidas o maior destaque e novidade de Salt! O game recebeu um modo co-op onde podemos derrotar chefes ao lado de um amigo. O que torna ainda mais impressionante é que o chefe é derrotado no mundo dos 2 jogadores. Algo que ainda faz falta muita falta nos títulos da From Software! Além disso, o game também inclui um modo PvP onde podemos invadir o mundo de outro jogador para atrapalhá-lo durante sua busca de Inquisidor. Com servidores dedicados, não há problemas de conexão ou dificuldade para acessar o mundo de seu colega!

Bugs e problemas de desempenho

Durante minha jogatina, não presenciei nenhum bug ou problema de desempenho. O jogo permaneceu estável no PC rodando a 60 FPS. Realizei os testes no PlayStation 5 e o jogo também se mantém estável com a mesma variável de quadros. Em relação ao PlayStation 4, o jogo se manteve estável sem quedas de frame. Ah… vale mencionar que no PS4 o jogo continua lindo e deverá ser apreciado até pelos jogadores da antiga geração de consoles.

O jogo possui um ótimo desempenho!

Review em vídeo

Caso tenha interesse, você poderá assistir nossa Review em vídeo no YouTube!

Vale a pena jogar Salt and Sacrifice mas ESPERE!

Mesmo com os graves problemas que o jogo fornece, ainda vale a pena jogar Salt and Sacrifice caso você tenha se divertido com seu antecessor. Infelizmente com a quantidade de títulos do mesmo gênero no mercado, Sacrifice acaba sendo apenas mais um genérico na multidão. A falta de inovações drásticas torna o game muito simples e pouco interessante. Talvez um dos maiores problemas tenham sido as Caças aos Magos que se tornaram repetitivas com o passar do tempo. Além disso, as inovações na jogabilidade não foram o bastante para se tornar um título obrigatório para a galera do PlayStation e PC. Sem dúvidas, Salt and Sacrifice merece ser jogado mas recomendo aguardar uma futura promoção pois o preço está um tanto quanto salgado pelo conteúdo que ele oferece. Se mesmo após você ler esta análise e tiver interesse em comprá-lo, esteja ciente que ele é inferior ao seu antecessor. Um problema que pode afastar os jogadores do PC é que o título está disponível apenas na Epic Games Store, afastando os fiéis usuários da Steam.

7.1Pontuação do especialista
Bom

Apesar das inovações nas mecânicas de combate, Salt and Sacrifice é inferior ao seu antecessor e peca em sua história principal, tornando um título genérico em meio a tantos do mesmo gênero.

História
5
Jogabilidade
8.5
Gráficos
8
Trilha Sonora
5
Desempenho
10
Multiplayer
8.5
Fator Replay
5
Pontos Positivos
  • Jogabilidade fluída
  • Multiplayer inovador
  • Gráficos melhorados
Pontos Negativos
  • História genérica
  • Luta contra chefes repetitiva
  • Trilha Sonora esquecível

Especificações técnicas do PC utilizado

  • Processador AMD Ryzen 3700X
  • Placa Mãe B450M Steel Legend
  • Placa de Vídeo NVIDIA GeForce RTX 3080Ti
  • 64GB RAM Corsair 3600mhz
  • Monitor Asus ROG Strix 32″ 2560x1440p 144hz

Blog Desconto em Games

Escrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários
Desconto em Games
Logo
RECEBA PROMOÇÕES NO SEU CELULAR
Shopping cart