Desconto em Games

Review: Kamikaze Veggies (Steam)

Kamikaze Veggies mostra a jornada de vegetais contra um tomate tirano - embora de forma um tanto repetitiva

Achar conceitos únicos no mundo dos indies, às vezes, é garimpar lista de lançamentos que por mais simpáticos que pareçam, tentam ser mais um exemplar de conceitos populares no mercado. A Red Lim Studio, em Kamikaze Veggies, porém, tentou criar algo um tanto diferente, até lúdico, por assim dizer. O resultado é interessante, e explicamos o que achamos a seguir:

Puzzle, ação e stealth

blank
O gameplay é interessante e simples. (Imagem: Reprodução/Red Limp Studio)

Kamikaze Veggies tem uma premissa básica, embora clichê: a sociedade humana foi extinta por ventos apocalípticos e, nos anos que se passaram, os vegetais se desenvolveram e acabaram por se tornar consciente. Um deles, um tomate, acabou se tornando um tirano que começou a oprimir outros alimentos que não eram iguais a ele e seus seguidores, e assim uma época sombria teve início.

Com isso, alguns vegetais dispostos a liberar o mundo das garras do tomate tirano organizaram uma divisão militar clandestina chamada Kamizake Veggies, e partem em diversas missões para atrapalhar a ditadura do vilão.

A premissa básica, no fim, serve como uma boa justificativa para as mecânicas do jogo. A divisão de vegetais que o jogador pode controlar sempre pode usar armas diversas encontradas no mapa, mas cada um, seja a cenoura, a cebola, ou um tomate reformado, contam com uma curiosa habilidade kamizake única – o da cenoura, por exemplo, causa uma explosão capaz de destruir estruturas.

Os controles são simples e as fases, embora curtas, são bem feitas, coloridas e com um design interessante – e servem bem para misturar cada um dos três elementos principais do jogo, no caso a ação, para as lutas entre adversário e o jogador em campos mais abertos; o stealh, em momentos em que o combate custará muito caro e é melhor só pensar em progredir na fase; e os puzzles, que é justamente saber como chegar em dado lugar e mesmo se vale a pena ou não sacrificiar um vegetal naquela hora para facilitar um caminho para o segundo.

Checkpoints espalhados pela fase também ajudam o jogador a saber onde seus vegetais aparecerão caso o seu atual morra ou realize um sacrificio, gerando um interessante movimento em que planejar os próximos passos sabendo qual será a situação da fase ali na frente estará após um ataque kamikaze, por exemplo.

Kamikaze Veggies não se sustenta por muitas horas

blank
As fases contam com layouts interessantes. (Imagem: Dácio Augusto/Desconto em Games)

Kamikaze Veggies também conta com uma mecânica que, no começo de cada missão, o jogador deve montar seu esquadrão de vegetais de acordo com um orçamento. Vegetais com habilidades mais fortes, obviamente, custam mais caro, mas usar os mais baratos pode render mais chances de tentar terminar uma missão – embora, conforme o jogador vai avançando no jogo, fica claro que as fases não são tão abertas a experimentação, o que faz com que alguns soldados em específicos estejam na equipe para que a progressão não fique travada.

Ao mesmo tempo, um sistema de pontuação bem parecido com os arcades clássicos também está presente no jogo, recompensando o jogador que conseguir causar mais danos para os adversários, seja destruindo estruturas ou matando soldados inimigos.

blank
Kamikaze Veggies conta com uma batata com tapa olho como controle de missão. (Imagem: Dácio Augusto/Desconto em Games)

O problema é que por mais que a jogabilidade seja interessante, não há mudanças ou alterações de jogabilidade o suficiente em Kamikaze Veggies que mantenham o jogador muito preso ao título além das horas iniciais. Querer conseguir uma pontuação maior pode ser um desejo, mas depois que é possível ver que ele só oferece isso, a graça vai se perdendo.

O jogo, então, me levantou um questionamento importante: se ele fosse lançado há alguns anos, em épocas em que jogos com esses esquemas de jogabilidade fossem mais comuns, talvez a situação poderia ter mudado e ele ser considerado legitimamente um clássico. Agora, em 2022, porém, ele é cansado e acaba parecendo não ter muito o que oferecer – muito mais como um reflexo de como enxergamos a mídia do que por seus próprios pontos negativos. É interessante.

Conclusão

6Pontuação do especialista
Passa de ano

Com uma jogabilidade engajante, mas um tanto repetitiva, Kamikaze Veggies é um jogo interessante e que pode divertir, embora dificilmente vai se destacar no meio dos demais títulos de 2022

História
7
Desempenho
6
Jogabilidade
7
Visuais
6
Trilha Sonora
7
Positivos
  • Simples de jogar
  • Visuais são bonitos para um jogo desse porte
Negativos
  • Torna-se repetitivo rapidamente

Kamikaze Veggies apresenta um jogo divertido e com uma jogabilidade interessante, mas que infelizmente não consegue se sustentar por muito tempo. Visualmente e sonoramente, o jogo mostra um esforço para apresentar um produto de qualidade, mas mesmo com todo o polimento ele acaba se tornando repetitivo rápido, o que infelizmente faz ele perder alguns pontos importantes.

Nem todo jogo precisa engajar por centenas de horas, mas talvez com alguns twists a mais na jogabilidade, Kamikaze Veggies pudesse ter sido um jogo excelente e um dos grandes indies de 2022. Infelizmente, isso não é o que o produto final apresenta. 

Confira também no Desconto em Games:

O review de Source of Madness!

Tags:

Escrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários
Desconto em Games
Logo
blank
RECEBA PROMOÇÕES NO SEU CELULAR
Shopping cart